A noite da televisão

Setembro 17, 2007 às 8:23 pm | Publicado em Prémios, Televisão | 2 comentários

01122756.jpg

Tony Soprano e seus foram, sem dúvida, os vencedores da noite dos Emmys 2007. Isso todos já sabem. Ou porque passaram a noite em claro (infelizmente, este ano não vai ser tão fácil para mim fazer as noitadas cinematográficas), ou porque acordaram e foram verificar os vencedores, ou ainda porque tropeçaram num qualquer orgão de comunicação social com a notícia em causa.

Os Sopranos levaram para casa os prémios para melhor série e melhor realização. No ranking dos melhores actores, James Spader para o drama e Ricky Gervais para comédia.

Gostei do facto de Katherine Heigl ter levado o galardão para melhor actriz secundária, achei bizarro que tivesse sido Sally Field a vencer como melhor actriz.

P.S.: Podem apedrejar-me mas não gosto da Ugly Betty.

Foi a inauguração da temporada de corrida às estatuetas americanas. Venham as próximas.

MTV Movie Awards: Piratas, Sacha e galhofice

Junho 4, 2007 às 9:41 pm | Publicado em Cinema, Prémios | 2 comentários

xin_5606040411204732424528.jpg

Ontem à noite foram entregues os prémios cinematográficos da MTV. A anfitriã, Sarah Silverman, fez as honras para uma noite que não vai ficar nos livros do cinema mas que proporciona sempre uns bons momentos de palhaçada.

Este ano estiveram por lá Johnny Depp, Sacha Baron Cohen e Bruce Willis. Os dois primeiros foram as figuras da noite com Depp e os seus piratas a vencerem o galardão para melhor filme e melhor actor e com o humorista mais atrevido de sempre a vencer os baldes de pipocas para melhor interpretação cómica e para melhor beijo.

O beijo, esse, já pelo segundo ano consecutivo é atribuído a um casal com membros do mesmo sexo. Will Ferrell e Sacha repetiram a graça em palco para as gargalhadas compulsivas de todos os presentes.

Para o ano há mais beijos, lutas, pipocas e palhaçadas. Fiquem com alguns dos momentos mais curiosos.

MTV Movie Awards: Vamos a um momento pipoqueiro

Maio 1, 2007 às 3:21 pm | Publicado em Cinema, Notícias, Prémios | 3 comentários

img_0144.jpg

Espartanos, piratas e o famoso repórter do Cazaquistão: são eles quem estão à frente nas nomeações para os prémios da MTV dedicados ao cinema.

A cerimónia acontece no próximo dia 3 de Junho em Los Angeles e, apesar de não estar no ranking dos prémios conceituados, acaba por criar burburinho entre o público gerando, habitualmente, efeitos desejados nas receitas de bilheteira.

300 de Zack Snyder recebeu cinco nomeações mas, logo atrás, está o segundo filme da saga Piratas das Caraíbas com quatro nomeações. Os dois têm em comum o facto de concorrerem para melhor filme, melhor performance (com Johnny Depp, Gerard Butler e Keira Knightley na corrida) e melhor vilão (com Rodrigo Santoro e Bill Nighy a chegarem à competição).

Quem também não ficou de parte foi Borat, que tem a possibilidade de receber três baldes de pipocas douradas nas categorias de melhor filme, melhor luta (como veio ao mundo com Ken Davitian) e melhor interpretação humorística.

A jóia indie Little Miss Sunshine tem, como não poderia deixar de ser, passagem obrigatória pelo concurso com a fundamental presença na página para melhor filme e com a pequena Abigail Breslin a receber honras para melhor revelação.

Os prémios em questão devem, quanto a mim, ser entendidos como um momento de promoção para os filmes e para a MTV, numa noite para não se levar muito a sério e na qual o canal de música acentua o seu estatuto editorial para as massas.

A verdade é que, no meio da palhaçada, acabam por acontecer alguns momentos divertidos e, a confirmarem-se as presenças de todos os nomeados (coisa que, geralmente, não se verifica), a noite promete discursos comprometedores. A conduzir o espectáculo vai estar a senhora humorista Sarah Silverman o que, desde logo, assegura fortes gargalhadas e episódios suficientemente corrosivos.

Este ano, a novidade chega sob a forma de uma categoria de nome “Melhor filme de Verão que ainda não viram”. É uma ideia sem grande nexo mas como aqui vale tudo para entreter, entende-se a manobra.

Se vos apetecer votar podem fazê-lo aqui.

Tim Burton recebe um Leão de Ouro pela sua fábrica de sonhos

Março 22, 2007 às 10:09 am | Publicado em Cinema, Festivais, Notícias, Prémios | 1 Comentário

No próximo Festival de Cinema de Veneza, Tim Burton vai aceitar um Leão de Ouro como reconhecimento pela sua carreira.

Será a cinco de Setembro que o realizador que sempre conseguiu fixar o equilíbrio certo entre a arte e a indústria vai subir ao palco para agradecer pelo trabalho que fez nos seus 23 anos como realizador.

Ponha o dedo no ar quem não viu e guardou Eduardo Mãos de Tesoura, Ed Wood, Nightmare before Christmas, Big Fish e A Noiva Cadáver. Ele é um pilar para fabrico de sonhos em Hollywood. Ninguém cria cenários e personagens como ele. Ninguém consegue transportar o espectador até mundos tão estranhos e paralelos como ele. Ele ataca-nos o subconsciente até nos conseguir fazer render à sua máquina e consegue-o de uma forma que roça a perfeição.

A sua versatilidade tem sido materializada quase sempre pela sabedoria dramática do seu sidekick, Johnny Depp. A dupla mais fantástica do cinema, quanto a mim. Excentricidade e genialidade com excentricidade e genialidade só pode resultar em algo grandioso.

Tim Burton está actualmente a trabalhar na adaptação do musical Sweeney Todd, de Stephen Sondheim, mais uma vez, com o seu companheiro de aventuras, Johnny Depp.

Deixo-vos este excerto de A Noiva Cadáver, tão negro e melancólico quanto esperançoso e iluminador.

O Labirinto do Fauno limpa os prémios mexicanos

Março 21, 2007 às 12:06 pm | Publicado em Cinema, Prémios | Deixe um comentário

guillermo_toro_acompanado_recibe_ariel_mejor_pelicula.jpg

Faltava apenas esta etapa.

O filme de Guillermo Del Toro recebeu o reconhecimento em casa. Venceu 9 estatuetas nos Ariel, os prémios do cinema mexicano, entre elas melhor filme, melhor realizador e melhor fotografia.

O prémio individual de melhor actriz foi repartido entre Maribel Verdú, pelo papel de Mercedes, empregada do Capitão e refúgio da pequena Ofélia, e Elizabeth Cervantes por Más que nada en el mundo.

Um registo da noite dos Globos de Ouro feito pela Premiere

Março 4, 2007 às 4:07 pm | Publicado em Cinema, Prémios, Televisão | 2 comentários

Para os que viram a transmissão dos Globos de Ouro em directo no AXN, o nome Liliana Neves é um que, de certeza, não esqueceram.

Em estúdio estava a apresentadora e Dario Oliveira, um dos directores do Curtas de Vila do Conde. O que se pretendia era que se ouvisse a cerimónia sem interrupções e que, quando nos intervalos surgissem comentários, fossem sobre, deixem cá ver….CINEMA. Tal não aconteceu. É perfeitamente legítimo que ela não entenda grande coisa de cinema mas, era por essa mesma razão que tinha alguém ao seu lado que entendia alguma coisa. Ela apenas tinha de estudar um bocadito e fazer perguntas. Quem se mantém acordado àquela hora para ver a cerimónia terá, em princípio, algum interesse por cinema e terá também, à partida, algum conhecimento sobre o tema. Acho difícil que sejam pessoas que se interessem pelos vestidos e pela aparência dos presentes.

A revista Premiere resolveu imortalizar algumas das frases da noite. Confesso que já não me lembrava de muitas das pérolas de raciocínio ali presentes. Porque calculo que suceda o mesmo com muitos de vocês, deixo aqui a transcrição de algumas das minhas preferidas.

Liliana Gonçalves: O que tu achaste do ambiente? A mim chamou-me muito a atenção. Eu não sei, não sei se aí em casa ficaram curiosos. Nós vimos as mesas redondas, vimos os copos, mas não vimos os pratos. Dario, eles não comem?

(Em outra ocasião)

Dario Oliveira: Este filme [The Departed] é um filme muito vibrante. Faz lembrar os grandes filmes de Martin Scorsese, nomeadamente o Mean Streets e o Taxi Driver, filmes que, na altura, punham em causa o que era vigente, eram absolutamente revolucionários para a produção americana. Ele filme, como ele explicou no discurso, é sobre o cinema. Ele fala dos primeiros grandes filmes de gangsters que ele tanto admirava quando era jovem e tentou fazer um remake disso tudo… (até aqui íamos bem, agora reparem)

L.N.: (interrompe) Um Martin Scorsese baixinho, mas um homem de armas e um homem que sempre lutou por ter os filmes.

Depois da minha ausência, o Fantas

Março 4, 2007 às 3:46 pm | Publicado em Cinema, Festivais, Prémios | 1 Comentário

fantas.jpg

Escrevo-vos hoje sobre as resoluções do Fantas entregues ontem à noite.

Só um aparte antes. Ontem o dia foi um daqueles que gosto de chamar “do caraças”, de tal forma, que hoje aqui estou de mão ligada e pescoço dorido. Uma querida senhora (de notar que a senhora exigiu que a tratássemos por Doutora e referiu várias vezes que se o carro ali presente fosse o seu incrível Mercedes 200, nem um arranhão teria) decidiu, na Avenida de Roma, passar para a faixa da esquerda, onde eu já circulava há uns bons 500 metros. O problema foi que o decidiu fazer no preciso momento em que eu passava ao lado dela.

Como os travões não fazem milagres, lá foi chapa com chapa e uma bela batida no passeio que fez como que eu e as três amigas que seguiam comigo, acordássemos hoje com a sensação de que fizémos intenso exercício durante horas seguidas. Nada de mais. É o que importa.

Seguindo em frente. Ontem o Fantasporto consagrou como vencedor desta edição O Labirinto do Fauno de Guillermo Del Toro. Do filme já vos falei aqui e vou falar-vos amanhã no Acabo de Ver. Só posso reafirmar que o reconhecimento é totalmente merecido.

Também o fabuloso Sergi López, o capitão franquista de quartel general montado perto do labirinto levou o prémio para melhor actor. Uma das actrizes pertencentes ao elenco deste filme, Ariadna Gil, foi chamada da melhor actriz na selecção de cinema fantástico mas, não pela fita vencedora do Fantas. Distinguiram-na pelo papel em Ausentes de Daniel Calparsoro.

Guillermo Del Toro já tinha reinado no Fantas de 94 com o seu filme Cronos e voltou desta vez a brilhar. Pena que a cerimónia dos Óscares não lhe tenha permitido estar na abertura. Talvez para a próxima.

Faltam outros prémios: Os Césars

Fevereiro 27, 2007 às 7:11 pm | Publicado em Cinema, Notícias, Prémios | 1 Comentário

48631.jpg

A cerimónia equivalente à dos Óscares em França aconteceu no Sábado. Está longe de ser o acontecimento cinematográfico mais importante do país mas já que falo de tantos prémios, achei que estes também mereciam destaque.

A noite não foi de Óscares mas a fonética cruza-se com eles. São os Césars.

O grande vencedor da cerimónia foi Lady Chatterley, uma adaptação do clássico de D.H. Lawrence. Estava nomeado para nove galardões e levou cinco entre os quais constam os de melhor filme francês, melhor actriz para Marina Hands e melhor argumento adaptado.

Este ano os Césars acabaram por ter maior destaque por terem fugido à sua linha habitual, contemplando cinema mais popular ao invés da habitual escolha apenas para cinema de autor.

Retomando o fim-de-semana

Fevereiro 26, 2007 às 12:17 pm | Publicado em Cinema, Notícias, Prémios | Deixe um comentário

1172386617_0.jpg

Como o tempo não abonou no fim-de-semana, deixo-vos agora com outras cerimónias que aconteceram durante esses dias fatídicos.

Primeiro, o prestigiado acontecimento que acontece todos os anos antes dos Óscares: os Razzies (os Óscares para o mau).

Sharon Stone e o Instinto Fatal 2 foram os grandes vencedores, arrecadando quatro prémios que incluiram pior actriz e pior argumento.

Do lado bom da força estiveram outros prémios: os Spirit, os galardões do reino do cinema independente.

Adivinhem quem foi o grande triunfador? Se pensaram Little Miss Sunshine, acertaram em cheio. Melhor filme, melhor realização para Jonathan Dayton e Valerie Faris, melhor argumento original e melhor actor secundário para Alan Arkin.

Não é vulgar haver nomeações dos Spirit a coincidirem com as dos Óscares mas este ano aconteceu.

Óscares: Uma noite bem repartida

Fevereiro 26, 2007 às 11:44 am | Publicado em Cinema, Notícias, Prémios | Deixe um comentário

26oscars_statue.jpg

Ontem foi uma noite muito agradável e do mais ponderado que eu já vi na Academia.

Vamos aos vários tipos de vencedores: as confirmações, as surpresas e os derrotados.

Já quase todos sabiam que seria Helen Mirren a ganhar o prémio de Melhor Actriz com a sua rainha, Forest Whitaker na categoria de Melhor Actor pelo papel em The Last King of Scotland e Martin Scorsese a ser recompensado por todas as nomeações que deixou escapar como Melhor Realizador. Até aqui, nada de novo.

A surpresa chegou na categoria de Melhor Filme. Não foi Babel a vencer, como aliás aconteceu em todas as categorias para as quais estava nomeado à excepção da de melhor banda sonora. Foi o grande vencido da noite. Foi The Departed a sobressair com um total de quatro Óscares (para além dos dois principais, arrecadou também melhor argumento adaptado e melhor montagem).

Também Dreamgirls apenas levou para casa uma estatueta: a de Melhor Actriz Secundária para Jennifer Hudson (estou obrigada a manter segredo porque ainda não vi o filme mas custa-me a crer que ela supere qualquer uma das meninas de Babel ou a pequena Abigail Breslin).

As boas surpresas do serão foram para Little Miss Sunshine que ganhou nas categorias de Melhor Actor Secundário (para Alan Arkin) e Melhor Argumento Original. É a prova de que a Academia consegue reconhecer o valor de alguns filmes independentes.

A noite não foi de entrega massiva. Em Hollywood dividiu-se tudo pelas várias famílias de forma a que todos ficassem com um sorriso nos lábios. Todos menos Iñarritu e Bill Condon.

Mais logo, no Acabo de Ver, conto os momentos da noite. Entretanto, podem espreitar aqui um dos pontos altos.

Página seguinte »

Site no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.