A animação renascida

Maio 11, 2007 às 4:38 pm | Publicado em Animação, Cinema, Estreias | 4 comentários

renaissance2054-12.jpg

Este é um perfeito exemplo da fuga à ideia pré-concebida de que a animação tem de ter um lado infantil. Não tem.

Renascimento é uma co-produção entre França, Reino Unido e Luxemburgo (os três lutaram financeiramente para a terminar) que demorou uma mão cheia de anos para ser concluída. Apesar disso, agora, chega até nós naquilo que se revela uma experiência formalmente muito interessante (repito, formalmente).

A animação a preto e branco retrata uma Paris a cinquenta anos daqui, vigiada e tecnologicamente muito avançada (a fazer lembrar os cenários de Minority Report). Quando uma jovem cientista é raptada, um detective é enviado no seu ancalço para, contudo, descobrir, que o motivo do rapto envolve ideias susceptíveis de mudar para sempre a humanidade e, consequentemente, interesses para as deter.

Todo o filme é revestido a um estilo noir muito poético, simultaneamente futurista e que lembra várias novelas gráficas em papel. Nesse sentido, de peça que apenas usa o negro e branco, com imagens baseadas em filmagens reais e um trabalho de iluminação surpreendente, Renascimento tem direito a vénia.

Se formos até ao campo do argumento, já não há muito para elogiar. A premissa é mais do que usada: um mundo futurista onde uma grande descoberta põe em marcha acontecimentos criminosos.

Os diálogos parecem ficar muito presos a uma falta de realismo que talvez se deva ao facto de os envolvidos não terem esquecido que faziam uma fita em formato de desenho animado. Mesmo os trabalhos de voz da maioria dos actores (com excepção para o Karas de Daniel Craig) são exagerados e até cartoonescos.

Este filme de Christian Volckman é uma experiência a ser observada sem, no entanto, se depositar muita fé na história. O aconselhável é vê-lo como pura obra de imagem, contada pela imagem e dependente apenas dela para se manter.

Na Segunda-feira tem direito a Acabo de Ver. Por agora, espreitem o trailer.

Anúncios

4 comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Pergunta: Isto usa a mesma técnica do A Scanner Darkly (rotoscoping) ou é um trabalho inteiramente digital (cel shading) ?

  2. Não é rotoscope, Sr. Silva. Julgo que é tudo feito a partir de motion capture mas depois é trabalhado digitalmente.

  3. Interessante. Pensava que depois do falhanço do Final Fantasy – The Spirits Within iam demorar mais tempo a fazer um full-feature todo em CGI.

  4. Bem legal o trailer.Sou estudante de cinema de animação e pesquiso sobre aplicações da animação em jogos eletrônicos e cinema live-action.Quem puder indicar alguma referência desde já agradeço.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: