Masi Oka: Digam lá que não parece um boneco de carne e osso

Abril 25, 2007 às 12:16 pm | Publicado em Pessoas, Séries, Televisão | 1 Comentário

hero-masioka.jpg

Ele é o japonês que quebrou as barreiras do espaço e do tempo em Heroes. Vivia uma existência totalmente standardizada no Japão mas agora acredita que o seu destino é parte de algo maior. A sua personagem disse a frase que todos decoraram: “Save the cheerleader, save the world”.

Masi Oka é Hiro Nakamura, o actor cuja aparência parece ter sido desenhada especificamente para uma BD ou para uma série anime. Mas não, é de carne e osso.

Andava no meu zapping electrónico diário sobre cinema e afins quando passei por um artigo sobre este senhor no site da CNN. Não é o texto mais interessante de sempre mas faz a vénia a quem julgo que a merece.

Oka nunca conseguiu papéis de relevo e foi passando despercebido na comédia em coisas como Reba, Reno 911 e Scrubs. O actor explica que muitas das dificuldades para conseguir “O” trabalho tiveram por base o facto de os americanos terem uma visão muito quadrada dos asiáticos. Era difícil encontrar um guião que se adaptasse à sua figura e à sua experiência na comédia.

Um dia, o piloto de Heroes caiu-lhe no colo e tudo encaixava na perfeição. Procuravam alguém que falasse japonês fluentemente, que tivesse experiência na televisão americana e que tivesse passado, em algum momento, pelos lados do humor.

Foi assim que nasceu Hiro Nakamura. Não quero tornar-me aborrecida nos elogios a Heroes (que já aqui fiz vezes suficientes) mas o personagem de jeito acriançado e ingénuo com o poder para mudar o mundo e, esperemos, salvar a cheerleader é, sem dúvida, aquele que mais me dá gozo seguir.

Espero que, depois da série, se consiga deslocar do papel e partir para outras andanças. Fiquem com este excerto.

Anúncios

1 Comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. A nomeação para um Globo de Ouro quando a série ainda nem ia a meio diz muito de Masi Oka. Agora vai ser dos principais em Balls of Fury (que cheira a desilusão e a fracasso, mas veremos) e em Quebec (que não será um clássico mas parece-me o estilo certo para começar devagar a subir na carreira).

    Beijinhos Inês.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: